Relacionamento na era digital

Toda vez que penso nesse assunto lembro do meu pai. Ele sempre foi vendedor apesar de nunca ter trabalhado diretamente com vendas. Atuou com Logística por toda sua vida profissional e sempre tinha com ele sua pasta e sua agenda (sonhava em ter e trabalhar com aquela agenda FranklinCovey - com refil - que ele atualizava com carinho). Descobri recentemente que a marca de agenda que ele usava se tornou uma empresa de conteúdo para gestão, e faz muito sentido! Mas qual a relação disso com o que acontece hoje nas Redes Sociais?

Planejamento, frequência, contato e resultado. Sem ser chato, claro, é basicamente o que acontece em todo ciclo de venda. Hoje é um pouquinho mais complexo pois as pessoas não estão nem aí com o telefone (já dizia meu professor de planejamento que as pessoas fazem tudo com o telefone, menos ligar), estão 90% conectadas e 0% dispostas a te ouvir oferecendo um produto ou um serviço.

O que aprendi com o meu pai?

Sabe aquele cara que passava o dia inteiro no telefone? Hoje ele passa o dia inteiro nas redes sociais. Sim, ele publica, interage, conecta, comenta, escreve… Tudo faz parte da construção de uma imagem para que as pessoas, clientes e prospects comecem a reparar mais em uma pessoa do que na outra. Claro que o conteúdo vai fazer mais sentido para umas, e opiniões acabam dividindo os públicos, mas aí eu vou entrar em uma discussão que não é o objetivo. Meu pai me ensinou a dizer o que o seu público quer ouvir. Sabe muito de marketing.

Relevância.

Palavra de ouro. Seja frequente, mas não insistente ou insuportável. Brinco sempre que você tem que ser vendedor, mas nunca aquele vendedor de Barsa (essa só os mais velhos irão lembrar) que passava toda semana na porta da sua casa com o mesmo argumento ou abordagem. “Ficar em cima” do cliente é chato e as pessoas repudiam isso cada vez mais, acho que nunca aceitaram. Compartilhe informação e experiência, mas cuidado com opiniões. Pra variar (e publicitário adora isso) tem uma sigla aqui para vocês: WIIFM (What’s in it for me?). “This question drives almost every decision we make, from the moment we wake up and instinctively check our phones, to when we finally switch off at bedtime. WIIFM is the subconscious mantra guiding our every action from composing that perfectly witty Tweet to deciding what work to prioritize or whether to bother with the latest employee training!” (from: www.growthengineering.co.uk). Pense nisso antes de publicar qualquer coisa, é sua imagem e seu relacionamento que podem ir por água abaixo ou rumo ao próximo negócio fechado.

Qualidade

Acredito que vem com aperfeiçoamento, mas pode começar muito bem se você se dedicar ao planejamento. A velha máxima de Abraham Lincoln: “Se eu tivesse oito horas para derrubar uma árvore, passaria seis afiando meu machado.” Você tem ferramentas e informações por todo lado, passe um tempo analisando tudo e jogando fora o que não te acrescenta. Lembre-se que a maioria dos sentidos humanos (olfato, tato e paladar), ainda não são transmitidos pela internet, então dedique-se à visão e a audição. Isso implica em texto, imagens e sons afinados com o seu discurso (e com o interesse do seu cliente), e principalmente chamando a atenção no meio da chuva de mensagens motivacionais que a internet te mostra. Pense como influenciador no real sentido da palavra: como você influenciaria seu cliente a lembrar de você? #ficaadica.

Imagem e gatilhos mentais

É como você quer ser lembrado, associado. E aqui também mora o perigo. Caso clássico: lembra aquela festa ou aquela foto do último happy hour ou até aquela opinião que alguém publicou? Todo mundo tem ou conhece uma história para contar. Já não é novidade que as empresas acessam os perfis dos candidatos que estão concorrendo à uma vaga de emprego. Agora faça um paralelo com todas as publicações que você vê diariamente, é a mesma coisa. Cada foto e cada texto que você escreve e compartilha com a sua rede irá repercutir de alguma maneira, e isso irá disparar alguma ação. Se você não pensava nisso antes, pense em qual ação você quer disparar nas pessoas. E por falar em foto pense se a foto e o texto se completam, se fazem sentido e se transmitem a imagem que você quer associar à você.

Acredito muito que na era atual não nos falta informação para surpreender e contribuir com a nossa própria evolução e com a evolução dos nossos negócios (e com os negócios dos nossos clientes). Mais do que isso, as relações de negócio que sempre forem pautadas em resultados para os dois lados serão muito mais duradouras e prósperas. Essa é a base do relacionamento comercial (e digital) que acredito. 


As verdades de quem já casou (e dicas para quem vai)

É unânime. Quem se arrependeu ou quem se impressionou pela qualidade de algum fornecedor vai concordar com o que muitos (sim, quase todos) clientes com os quais convivo relataram para mim. Separei os comentários mais interessantes para você que está planejando um casamento ou qualquer outro evento especial. Seja na sua vida pessoal ou profissional, essas impressões de casais, noivos e clientes servem para a vida, você vai ver.

Os temas são os mais diversos quando se pensa em organizar um grande evento (entenda grande pela importância e até pelo tamanho), porém o que vai importar no final é como você vai vivenciar esse sonho ou ocasião especial e como ele será para seus convidados. Espero que esse artigo leve uma certa reflexão para você.

“Pense na identidade, na essência deste dia”

Esse dia terá uma “cara”, como ele será lembrado por você e pelos convidados. Acima de tudo: ele traduz e materializa o tema. Pense assim: o local, a decoração, o horário, a alimentação, o estilo das fotos e até a orientação de traje dos convidados combinam com o tema? Quer um exemplo: raramente vou num batizado usando roupas escuras. Pode parecer simples mas esses detalhes fazem muita diferença durante o casamento, evento ou ocasião especial. Nem preciso falar das fotos né?

“Profissionais bons e confiáveis não são comparados através do valor da proposta.”

Já aconteceu comigo como cliente e como fornecedor e sei o quanto é chato quando a gente se sente “passado para trás”, onde na verdade o culpado somos nós mesmos. Quer ver por quê? Garanto para você que profissionais bons e confiáveis serão justos no valor do serviço quando consideram a responsabilidade que estão assumindo com você e quando consideram a complexidade para entregar aquilo que você sonha. É diretamente proporcional: se você quer um serviço barato, provavelmente está abrindo mão de uma parte dele que está associada ao valor monetário final, ou seja, algo ele não entregará da mesma forma que o outro fornecedor, que era mais caro. E isso se intensifica quando falamos de qualidade, que muitas vezes não dá nem para comparar. Quando assumimos esse risco com um fornecedor mais barato, não vale reclamar depois, por isso barganhar num evento tão especial pode não valer a pena no final.

“Trabalhei e planejei tanto, agora preciso aproveitar”

Durante o evento lembre-se de olhar à sua volta, admire tudo o que você construiu. Se você já contratou tudo, é hora de aproveitar. Agora se você assumiu uma função não há como desligar. Pense nisso quando planejar seu evento ou seu casamento. Abra mão do controle absoluto, confie nos profissionais que você contratou e deixe que eles façam o melhor.

Essa é para quem vai casar: “First look: imprescindível. Esqueça a ideia de se trocar no mesmo ambiente do noivo.”

Para a fotografia, vejo esse momento como reviver o primeiro dia que os noivos se conheceram, só que eles estão extremamente bem vestidos e lindos e tem alguém fotografando isso tudo. Perfeito para as emoções aflorarem num piscar de olhos. Se é arrepiante para mim, imagine para quem vive isso? Pense que, se o dia do casamento é tão especial, não perca a oportunidade de criar momentos e sentimentos assim na memória deste dia. O noivo e a noiva devem se preparar em ambientes separados e sim, a expectativa de ver como o outro está cria este clima lindo de fotografar.

“Planeje seu dia [ou seu evento] e conte para seus fornecedores.”

A maioria dos eventos que fotografei não tinham um roteiro. Pois é. Sorte a minha que já conheço como cada um funciona. A única coisa que sinto (no caso da fotografia) é que para poder criar personalidade nas imagens, é preciso roteirizar um mínimo do seu passo-a-passo na cabeça e deixar os equipamentos prontos. Só assim buscamos ângulos, técnicas e levamos equipamentos específicos e suficientes para conseguir algo bem distinto e único. Isso funciona com todos os fornecedores, viu? Tire um tempinho, geralmente 30 minutos de conversa no dia anterior já ajudam bastante. Eles irão te agradecer.

“Roteiros: joguei todos fora e criei o meu.”

É isso aí! Quem casou sem protocolos e criou o seu momento foi mais feliz, garanto. Não há nada de errado com casamentos ou eventos clássicos, lembre-se que esse dia tem uma personalidade, qual é a sua? Pense novamente no que você quer transmitir ou resgatar nesse dia, é muito importante que tenha a sua marca e o seu estilo. Vale a pena investir o seu tempo e criar um painel no Pinterest para separar ideias e criar a persona do seu evento, por exemplo.

“A pontualidade ajudou a tudo correr melhor do que eu esperava.”

Uma vez, em um evento que já se atrasava por uma hora, visitei a cozinha em busca de água e me deparei com a seguinte cena: dois cozinheiros e a organizadora do evento preocupadíssimos com os pratos que já estavam prontos há 20 minutos e começavam a esfriar e passar do ponto certo. É verdade, todos (principalmente seus fornecedores) estão lá de olho no relógio, um atraso mínimo pode impactar toda uma experiência para você e para os seus convidados, além disso ser pontual pode mostrar o quanto você se preocupa com quem está lá.

“Faça ser espontâneo. O tempo todo.”

Como? Esqueça quanto você trabalhou e viva o momento. Sou suspeito para falar deste comentário, na minha opinião a espontaneidade revela a personalidade, é leve, é mais verdadeiro e você foge das cenas duras e frias. Quer saber mais uma verdade? Até as fotos posadas precisam acontecer espontaneamente, lembre-se disso. Não sou contra fotos posadas, acho que são até necessárias dependendo apenas da ocasião. Se elas são essenciais para você, é só falar.

“A luz do dia é muito mais linda!”

Precisa dizer mais alguma coisa? Várias vezes fotografei famílias e eventos empresariais durante a noite e já fui chamado novamente para repetí-los durante o dia. Foram nesses eventos que ouvi esse comentário. Claro que casamentos ou eventos durante a noite são incríveis também, a noite tem a sua beleza e seu significado. Aliás, acho isso mais importante do que a escolha da hora: o significado.

“Seja criterioso com a lista de convidados”

Vale para casamentos, eventos e para a vida, não é? É raro eu fotografar um casamento ou um evento lotado de convidados ultimamente (exceto congressos e feiras, claro). Qualidade sempre foi melhor que quantidade, principalmente quando se trata de um casamento. O momento se torna muito mais intimista e verdadeiro, as fotos então…

“Ouça as dicas dos seus fornecedores”

Jogo de luzes, decoração, alimentação mais leve e no horário certo, estender ou antecipar o horário do evento… Tudo é vivência. E se você confia nos profissionais que estão envolvidos é essencial considerar a opinião deles. Claro que existem empresas que aproveitam para explorar ainda mais seus clientes, mas vou partir do princípio que você confia na sua equipe e já passou por essa fase de escolha. Ouça e compartilhe seus anseios. Absolutamente tudo é importante.

“Deixem seus celulares em casa”

Claro que é impossível, eu entendo. Essa também é para quem vai casar: já tive que disputar a cena da entrada dos noivos com um tablet, pois é. E enorme. Em todos os casamentos perco uma centena de fotos porque os celulares aparecem (ou estragam) uma cena de entrada dos noivos, de detalhes da troca de alianças… Na minha opinião as pessoas criaram uma ansiedade absurda de registrar tudo mas esquecem de participar daquele momento. Além disso, eu, fotógrafo, estou lá para registrar tudo para vocês. Esqueçam os celulares um pouco e lembrem seus convidados de fazer isso.

“Cuidado com pacotes de serviços dos fornecedores”

Desde a empresa que oferece para você a foto+video como também realizar a decoração e gerenciar o seu projeto (cerimonialista). Eventos são muito complexos e possuem muitos detalhes que envolvem experiência extrema em cada área. Já fotografei um casamento em que mais de um fornecedor tinha mais de uma atribuição. O resultado foi [quase] catastrófico. Cuidado, aqui o barato sai muito caro.

E a mais bonita de todas as dicas: “Considerem MUITO a opinião e dicas do seu fotógrafo”

Já vivenciei muitos casamentos e eventos, desde familiares até empresariais, por isso considero que meu senso de observação já está bastante apurado. Dá pra perceber de longe se um convidado está se sentindo confortável ou querendo ir embora logo, se é bom você mover aquela mesa daquele lugar para que as pessoas consigam se movimentar ou se o serviço vai ter um gargalo naquele ponto do evento. Sim, fotógrafos observam e vivem de observação. A capacidade de opinar em várias partes do evento deve ser levada em consideração. Importante: a nossa opinião (fotógrafos) não tira ou substitui a importância de um profissional especialista. Queremos que tudo dê mais do que certo, assim como todos os que estão trabalhando pesado, o que importa no final é que seu evento vai ser lindo.


Imagem: do uso à autorização

É muito provável que você já tenha lido alguma reportagem sobre violação de informações pessoais ou imagem, principalmente quando envolve as redes sociais e como as empresas usam seus dados. O assunto tem surgido com mais frequência nos eventos que tenho fotografado e tenho certeza que muitas pessoas já se questionaram “onde minha foto será publicada?”.

Sempre que me perguntam sobre o assunto em um evento peço para que a pessoa pergunte diretamente para o responsável da organização. A maioria das vezes eu sei onde irão utilizar as fotos, até porque eu tenho que incluir isso na minha proposta e contrato, porém isso não isenta a empresa de pedir uma autorização específica. Toda autorização de uso de imagem envolve, no mínimo, o fotógrafo, o dono do evento e a pessoa que está sendo fotografada. Estou sendo simplista pois também deveria considerar a autorização do proprietário do local onde estamos fotografando e tudo que está aparecendo direta ou indiretamente nesta foto (sim, maquiadores, assistentes e toda equipe tem um pouco de direito sobre uma foto, mas irei explicar de uma forma mais simples).

Todo cuidado é pouco

Dizem que é lenda urbana, mas a história de um fotógrafo que trabalhava em um evento social e publicou uma foto que causou a separação de um casal pode ter sido mais real do que você imagina. Sempre tenho o cuidado de perguntar para as pessoas se posso fotografá-las, mas é quase impossível fazer isso em todo evento social.

Pense em uma autorização prévia

Você não precisa avisar todo mundo que você irá fotografar o evento em um comunicado específico. Muitos eventos já solicitam a assinatura de um termo na entrada ou até mesmo quando a pessoa confirma a sua presença de maneira eletrônica ou quando compra um ingresso (ela já concorda com os termos de acesso ao local ou ao show, por exemplo). Claro que o termo não será exclusivo para a imagem, mas também para o uso do e-mail do convidado em listas de distribuição e também para fins de análise de informações, porém é a oportunidade para você já solicitar a autorização de uso da imagem para divulgação do evento. Claro que essa autorização não permite que a foto desta pessoa seja usada para publicidade, mas já evita muito transtorno. Caso você queira usar a foto desta pessoa em uma propaganda seja direto e converse com ela (e com o fotógrafo) para que todos assinem termos de uso de imagem específicos.

E como funciona uma autorização de uso de imagem?

Todos os termos devem descrever exatamente como a imagem, foto, video ou som do indivíduo será usado. Incluindo o período, abrangência e muitas outras características que este contrato irá contemplar. Esse documento deveria ser usado com mais freqüência, porém ainda vejo que as pessoas tem medo (sim, medo) de formalizar as condições de uso em um contrato. Acredito que esse medo está mais relacionado ao desconhecimento do que qualquer outro fator. Uma conversa e a descrição das características deste acordo resolvem tudo, confie nisso.

Se você tiver qualquer dúvida ou quiser compartilhar uma nova informação comigo, estou à disposição para conversar com você. Tenho modelos de contrato que posso compartilhar, além de orientar (dentro do possível e da minha experiência) qual seria a melhor forma de você aplicar isso no seu próximo evento. Separei algumas referências para quem gosta de estudar um pouco mais sobre o assunto:




Color Psychology e a influência sobre você

Com certeza você já deve ter sido impactado por alguma informação sobre como as cores tem influência no nosso cotidiano, já deve ter ouvido falar sobre terapia das cores ou como elas são trabalhadas em marketing. Pois é, elas estão (ou você deveria considerar o poder delas) em grande parte do seu cotidiano, vou te mostrar por quê.

Quando comecei a pesquisar sobre color wheel e color psychology alguns anos atrás, foi com o intuito de criar alguns presets (filtros ou processos de tratamentos de fotos avançados) para aprimorar a qualidade das fotos num âmbito cromático. Bonito isso né? É verdade, nosso cérebro processa a harmonia ou a combinação das cores possibilitando criar sensações, e trabalhando nisso consigo ir um pouco além da imagem quando alguém observa uma foto minha.

Claro que cada pessoa, gênero, etnia, faixa etária e diversas outras características influenciam em como ela processa cada combinação, mas de maneira geral existe uma relação direta (e genérica) do resultado da aplicação de cores naquilo que está na nossa frente. Até Isaac Newton teve influência no desenvolvimento desta teoria. Fato: cores impactam as emoções humanas, e isso pode ser usado a seu favor.

Tá, e como isso vai me ajudar?

Lembra quando falei de emoções? Cores estão muito ligadas ao bem-estar e provocam reações que podem estimular a compra, por exemplo. Esta é a oportunidade de usá-las a seu favor. O cérebro humano identifica a cor antes de qualquer outro elemento, com isso sensações e sentimentos são associados quase que imediatamente.

  • Cores claras são mais amigáveis e leves.
  • Cores vivas transmitem energia, entusiasmo, diversão.
  • Cores escuras são fortes, autoritárias, dramáticas, porém retrocedem o olhar.
  • Cores opacas tendem ao conservadorismo e muitas vezes até timidez.
  • Cores intermediárias são clássicas.
  • Cores quentes “avançam” ao olhar.

Cada vez que assumir uma cor lembre qual sensação você quer transmitir e se ela é mesmo a mais adequada. No nosso humor, na combinação das nossas roupas, nas cores de ambientes e em diversas aplicações, separei exemplos bem próximos do nosso cotidiano e onde vejo mais oportunidades para você:

  • Eventos: de um modo geral a escolha da cor fica limitada (ou regulada) à marca (branding) e ao produto, muitas empresas têm um manual de uso da marca e temos que segui-lo, mas leve em consideração a experiência do cliente, como ele irá perceber ou receber a mensagem. É possível criar ambientes que provocam as sensações que você quiser. 
  • Aniversários e eventos em família: mesmo em festas temáticas as cores irão proporcionar estímulos, elas podem trazer mais conforto e mais energia ao ambiente. Observando um círculo cromático será muito mais fácil escolher a decoração e até na sua playlist.
  • Ensaios: a coisa mais comum é marcarmos ensaios externos e eu receber um monte de perguntas sobre qual roupa usar. É simples: pense no ambiente, imagine as cores predominantes do local e olhe para o círculo cromático, será mais fácil de separar os seus looks e as fotos ficarão muito mais harmônicas.

Como eu utilizo um círculo cromático?

Primeiro, ele é uma ferramenta para fazer combinações que contém, originalmente, 12 cores: 3 primárias (não podem ser obtidas através de outras, como o amarelo, azul e vermelho), 3 secundárias (formadas pela mistura das cores primárias, obtemos laranja, violeta e verde) e 6 terciárias (compostas pela mistura das cores secundárias). Além delas ou a partir delas, podemos criar milhões de outras adicionando o preto (resultando em sombras e as cores mais escuras) ou o branco (representando a luminosidade e as cores claras).

Quando trabalhamos com um círculo cromático pensamos em combinações ou harmonias. As harmonias são indicações (não regras) que as cores trabalham bem juntas, por exemplo:

  • Harmonia monocromática: apenas uma cor primária (ou a variação dela utilizando mais preto ou mais branco) é utilizada. Esta cor primária mais clara ou mais escura pode ser combinada para não deixar o ambiente, assunto ou detalhes monótonos.
  • Harmonia análoga: cores próximas no círculo cromático são utilizadas causando pouco contraste. Geralmente cria-se um efeito harmônico entre os elementos do ambiente, imagem, roupas.
  • Harmonia complementar: são escolhidas cores em posições opostas no círculo. Geralmente causam uma sensação “quente/frio”, produz alto contraste.
  • Harmonia triádica: escolha três cores que possuem a mesma distância entre si dentro do círculo cromático e use uma como dominante e duas para compor. Geralmente a sensação é de harmonia, levando em consideração que a cor dominante é que dita a sensação principal.


Harmonia monocromática.

Harmonia análoga.

Harmonia complementar.

Harmonia triádica.

Existem muitos estudos e análises sobre o significado psicológico das cores, além disso existem muitas interpretações sobre elas. Por isso cuidado ao assumir uma característica de um primeiro resultado na sua busca na Internet. Faça testes e peça a opinião de sua família, amigos e colegas de trabalho. É um exercício muito bacana.


Porque você deve criar uma memória para seus filhos

Quantas vezes você se deparou com uma memória que trouxe uma sensação incrível de um momento que ficou guardado e só precisou de um gatilho para disparar sua alegria, saudade ou diversas outras sensações? E quantas vezes você queria ter uma imagem mais real para contemplar e talvez compartilhar com sua familia, amigos ou com você mesmo?

Se eu pudesse voltar atrás pediria para meus pais fotografarem mais. Ainda tenho brinquedos e pequenas lembranças do meu cotidiano, mas do meu dia-a-dia, não tenho. Não que seja ruim ou triste, eram outros tempos. Conseguir uma câmera e estar com ela todo tempo era complicado, não era para todo mundo.

Hoje você pode fotografar com o celular, câmera descartável ou de qualquer jeito. O importante é registrar. Eu defendo muito que você fotografe bastante seus filhos, e se possível com um fotógrafo profissional, claro. Aqui vou tirar um espaço para defender a “classe” (rs): alguns momentos são tão especiais que vejo pouca gente fotografando profissionalmente a apresentação de balé, a competição de natação, futebol, o primeiro dia de aula… E vai além dos filhos, sinto falta de fotos dos meus pais, da emoção deles ao me olhar e me acompanhar, de vê-los chorando quando eu me mexia em alguma apresentação da escola (ou quando eles me colocavam naquelas fantasias horríveis! rs).

Esses momentos (pais e filhos) são mais importante do que imaginamos e são esses que a fotografia vai ajuda a eternizar, ajuda também a você estar presente ao invés de se preocupar com a melhor foto. O valor desse dia registrado e eternizado em uma foto será tão valioso para seu filho quanto é para você, pode ter certeza. Isso sem falar dos netos ou gerações.

Imagine no futuro, quando vocês estiverem juntos em uma tarde de Domingo qualquer, como seria mágico pegar aquele álbum de fotos e contar a sua história daquele dia tão especial para o seu filho ou filha? Como foi o preparo, sua ansiedade, o que você disse… Foram nesses pequenos momentos que a sua memória foi construída. Você, como filho, lembra de ter conversado alguma vez com seus pais sobre esses dias especiais? As memórias desta tarde trarão felicidade, união, compreensão e ficarão eternizadas para sempre, mais do que as fotos, pode ter certeza.

Lu Tranchesi e Antonio montando sua árvore de Natal

Lu Tranchesi e Antonio montando sua árvore de Natal

Lu Tranchesi e Antonio montando sua árvore de Natal

Lu Tranchesi e Antonio montando sua árvore de Natal

Lu Tranchesi e Antonio montando sua árvore de Natal

Reviva emoções e momentos em família: você não adoraria eternizar aquele piquenique no parque, um passeio na sorveteria ou mesmo a primeira vez dos seus filhos na praia? Como será que foi a sua reação quando viu, pela primeira vez, a imensidão do oceano?

Atividades que toda criança pratica: você lembra quais atividades participava logo depois da escola? ou até mesmo na escola? Balé, futebol, arte marcial, artes, circo, teatro… Já mudou de escola e não registrou aquela turma que ele acompanhou por 8 anos? Primeiro dia de aula? 

Nossa, quantos pequenos grandes momentos da vida que a gente guarda na memória mas que seriam ainda mais lindos quando registrados. Sou suspeito para falar, mas essa é minha saudade. Queria saber qual roupa eu usei, qual era a minha expressão e a expressão dos meus pais. Esse suspiro que damos quando uma memória boa vem na nossa cabeça é insubstituível. Alegria, felicidade, amor.

E se você chegou até aqui com tantas lembranças da sua infância, o que acha de fotografar o próximo grande pequeno momento da sua história com os seus filhos? Comece hoje, vamos fotografar.



Sua imagem e sua presença online precisam saber disso

No último ano fotografei muitas tardes de apresentação de projetos para investidores e uma coisa posso dizer: uma boa apresentação já é meio caminho andado. E não falo só da apresentação do projeto, da ideia, do ROI, falo de como o idealizador ou palestrante se mostram para a platéia, todos os fatores que se materializam naquele instante. É muito simples, o conjunto tem a obrigação de vender.

Acredito que a grande maioria das pessoas que conheço já passou por uma entrevista e já se viu obrigada a mostrar tudo o que você tem de melhor para aquela oportunidade. O discurso deve ser convincente e conciso, as informações claras e objetivas. Grande novidade. Agora, faça um paralelo com tudo o que você vê no seu Linkedin, quais são as pessoas da sua rede ou do seu feed que mais atraem a sua atenção? Na minha opinião, conteúdo, histórico e imagem têm grande participação nisso.

A sua imagem tem muita relação com a sua foto, ela transmite de imediato o que você é ou quer informar às pessoas: confiança, seriedade, descontração ou todos os atributos e mais muitos outros. Tem gente que gosta de ter uma foto no seu ambiente de trabalho para mostrar mais informações em uma imagem, mas outros não tem um ambiente fixo, então preferem algo mais abstrato como uma foto em estúdio ou um local mais neutro. Tudo vai depender da sua estratégia. Pois é, tem tudo isso numa foto sim.

Qualquer campo de atuação merece um cuidado especial, afinal você é a sua empresa, as pessoas precisam se sentir atraídas pela imagem que você transmite (aqui falo das 3 coisas novamente: conteúdo histórico e imagem). Precisa ser convidativo, leve, convincente. Além disso, retratos costumam ser como você será reconhecido por clientes e consumidores. Um retrato é um elemento muito importante da sua presença online e o investimento é muito baixo perto do retorno que você terá.

Eu acredito muito que zelar pela sua imagem traz retornos constantes para avançar na carreira, marcar sua presença digital, aumentar o engajamento da sua audiência ou até mesmo para naturalmente aparecer elegante.

Berenice Abbott, uma fotógrafa norte-americana, escreveu certa vez “Photography helps people to see”. É verdade. É um pouco duro saber que é assim que uma foto é vista pelas pessoas, mas se você é o seu negócio (e todos somos), é importante você pensar nisso.


A festa está chegando: que tal sair do óbvio?

Todo ano é uma conquista, mais uma fase é superada e aquele momento especial de comemorar mais um ano de vida precisa ser eternizado (e não estou falando de fotos). Vai dizer que você não gosta de ver a felicidade do seu filho ou filha às vésperas da sua festa? Minha mãe conta que eu chegava a ficar com febre, ansioso, uma mistura de felicidade e vontade de brincar sem parar. Ela lembrou bem recentemente: “Mais importante que a chegada é o caminhar”, por isso trago algumas experiências para você pensar na próxima festa dos seus filhos (ou netos!).

Já fotografei muitos aniversários infantis e cada ano que passa (além de ver as crianças ficando maiores que eu, e isso não é difícil, rs) vejo que as festas se tornaram mais interativas, mais ao ar livre, mais alegres e com os pais curtindo muito a festa com seus filhos e convidados. Isso me deixa feliz, acredito que a essência deste momento é comemorar; da sua maneira e com cada vez mais criatividade na organização da festa. Para mim faz parte do presente que eu ganhava dos meus pais, a minha festa.

Os espaços para festas (buffets) têm sua vantagem: você encontra tudo num só lugar, as opções e adicionais são fáceis de escolher e você combina tudo com uma pessoa só. Mesmo com essa facilidade toda já presenciei situações um tanto quanto frustrantes para pais e filhos, muitas vezes o que você espera (e contratou) não é entregue da maneira que foi apresentado no dia em que você fechou a data da festa. Tudo bem, essas coisas acontecem mesmo. Lembre-se de se certificar da reputação do lugar antes de fechar a festa, claro.

Depois de muitos anos fotografando aniversários infantis posso dizer com segurança: organizar uma festa por si só, ao invés de contratar um espaço de festas, pode dar um pouco mais de trabalho, mas é infinitamente mais gratificante. Acho que eu ficava muito mais contente quando via o esforço que meus pais faziam para pensar na festa, eu os admirava ainda mais. É, vai dar um pouco mais de trabalho, mas quando falo de mais trabalho é que ao invés de um fornecedor você vai ter mais de um dependendo só da sua criatividade e do tamanho da festa que você quer. Ah, mas tem um facilitador: algumas bandeiras de cartão de crédito oferecem um serviço gratuito de concierge, uma pessoa fará todas as cotações e contratos por você, então você não vai ter todo esse trabalho.

Listei algumas festas que já fotografei para você ver que aniversário apenas em espaços de festas ou ambientes fechados não é mais o único caminho:

  • Festa do Pijama: é isso mesmo, na sua casa e com um número limitado de amiguinhas ou amiguinhos do seu filho. Geralmente as meninas gostam mais de fazer uma festa exclusiva e “secreta”.
  • Carnaval: lembra aqueles bailes nos clubes ou na rua? É igual e muito fácil de organizar. Vai ser mais divertido ainda com pais e filhos fantasiados.
  • Balada: as meninas curtem mais ainda quando tem um DJ e luzes no salão.
  • Halloween: aqui até os pais decidiram se fantasiar. Claro que não era obrigatório, mas as fantasias das crianças e dos adultos me surpreenderam. A decoração então… era pirulito com formato de olho, sucos com nomes de poções, brincadeiras típicas de um halloween e um show de mágica para acalmar as crianças antes do parabéns.
  • Pic-nic: alguns parques (conheço a opção do Burle Marx) alugam áreas para realização de festas, mas você não precisa reservar horário nem espaço em grande parte dos parques que tem na sua cidade. É só torcer por sol e tempo bom e visitar o lugar antes para ver o movimento, escolher uma sombra e marcar o lugar da festa.
  • Festa na piscina: qual criança que não gosta de uma piscina? Acho que com as últimas ondas de calor até os pais querem uma festa dessas.
  • Um dia no sítio: vai ter espaço ao ar livre de sobra para todos curtirem, ainda mais se o lugar tiver animais e uma plantação.
  • Zoológico: sim, dá pra levar um mini-zoo para sua casa. Existem empresas especializadas para levar os bichos (e répteis) para uma aula sobre animais, como eles vivem, o que comem… As crianças ficam espantadas quando o tratador pede para elas interagirem com os bichos.
  • Dia de beleza: pode ser em um salão de beleza ou você pode montar um mini salão na sua casa. Nessa festa as meninas curtiram uma balada logo depois (no salão de festas mesmo).


Halloween da Ava

Dia de beleza das meninas

Festa do pijama

Festa do pijama

Balada das meninas

Balada das meninas

Festa na piscina

Festa na piscina

Festa na piscina

Zoo

Zoo

Zoo

Independente do tamanho, o que eu acho que não pode faltar:

  • Convite: tudo é digital hoje, tem sites e aplicativos que fazem isso de forma primorosa e muito rápida.
  • Lugar: é só escolher algum da lista acima ou inventar qualquer outro. Ainda não fotografei nenhum aniversário na praia, o que acha?
  • Bolo: desde cozinhar com seus filhos até encomendar um bolo daquela confeitaria maravilhosa, vale.
  • Decoração: pode ser a mais simples até a mais mirabolante, os convidados podem participar.
  • Animação: vale a pena pensar em monitores de acordo com a quantidade de crianças e adultos, assim você fica livre para curtir.
  • Alimentação: as empresas especializadas já estão acostumadas a servir (e propor pratos) de acordo com o local e com o tema, converse com eles, podem surgir boas ideias.
  • Fotografia: jura que depois de organizar tudo num lugar maravilhoso você vai ficar tirando as fotos ao invés de curtir a festa? Pode ter certeza que eu vou te ajudar e farei isso com muito amor. Nada melhor do que daqui a 20 anos, chamar as suas eternas crianças para passar uma tarde de Domingo juntos e mostrar como aquele dia foi especial.



Prós e contras de usar um Banco de Imagens

Você sabia que apesar das empresas de banco de imagens lucrarem com suas fotos todos os anos, a maioria das grandes agências raramente as usa? Mas por que as imagens de banco de imagens são tão universalmente odiadas pelos melhores publicitários e pelas maiores empresas e amadas por pequenas lojas e iniciantes?

Antes de mais nada: o que é a foto de um banco de imagens?

A fotografia que você encontra lá é como uma roupa que você compra na prateleira de uma loja de departamentos popular. Não importa o quão bonito pareça, você não será a única pessoa que irá usar. As fotografias de banco de imagens são tiradas sem qualquer foco ou atribuição. Fotógrafos tiram fotos e as submetem para serem licenciadas. Essas fotos podem ser adquiridas por um preço específico com base no uso ou a uma taxa fixa. As fotos estão disponíveis para quem quiser comprá-las, ou seja, elas serão usadas ​​repetidas vezes por muitos clientes diferentes. 

Os problemas

  • A fotografia de banco de imagens é geralmente considerada uma substituta ruim para uma sessão de fotos personalizada. Você usa cenas genéricas para abordar um produto ou serviço específico, sem poder ajustar a iluminação ou tirar a foto de um ângulo diferente. E isso é apenas o começo. Aqui estão alguns dos maiores problemas com fotos e ilustrações de banco de imagens: a foto de um banco de imagens não é original e nem sequer se aproxima disso ou as fotos nunca são tiradas com produtos ou idéias específicas e geralmente são vagas na execução.
  • Faça um teste: pesquise “família feliz” ou “brincar com animais de estimação” em sites como o Getty Images ou o iStockPhoto, você será bombardeado com fotos parecidas, com diferentes graus de qualidade.  As fotos podem ser compradas por qualquer um: o grande problema com isso é a identidade da marca. Se você produzir algo usando uma fotografia adquirida em um banco de imagens, seja um panfleto ou um outdoor, você estará usando imagens disponíveis para qualquer outra pessoa comprar e usar. Muitas empresas menores viram seus anúncios parecerem anúncios de outras empresas porque contêm as mesmas imagens. Isso definitivamente não é bom. Às vezes, você pode negociar direitos exclusivos, mas esses direitos têm um preço alto e acabarão em algum momento.
  • Muitas vezes a foto é um clichê: olhe em qualquer site de banco de imagens, você será bombardeado com imagens antigas de empresários se equilibrando, famílias rindo na frente de TVs e pessoas apontando para algo abstrato. Se você tem uma excelente ideia para uma mensagem ou campanha, quase certamente não a encontrará executada em um site de fotos. E se você fizer isso, lembre-se que qualquer um pode usá-la.

As vantagens

  • São boas para composições e mock-ups: este é o principal uso destas imagens pelos departamentos de criação. Quando você está pensando em uma ideia para uma apresentação de cliente e não há tempo ou dinheiro para fazer uma foto ou filmagem. Seria um desperdício de tempo fotografar todas as idéias que são apresentadas. Você pode ilustrar uma idéia rapidamente ao compilar várias imagens para criar uma imagem única. É claro que demora também, e elas serão de baixa resolução, mas é suficiente para retratar como a imagem final poderá parecer. As bibliotecas de fotos geralmente permitem que você salve as imagens em baixa resolução ou com marcas d’água gratuitamente.
  • Bancos de imagem são mais baratos que uma sessão fotográfica: na maioria dos casos, uma sessão fotográfica se torna um projeto de dias, semanas ou meses. E isso também exige dinheiro. Com o banco de imagem tudo está pronto. Tudo o que você precisa fazer é calcular o preço e obter a aprovação do cliente. Mas lembre-se de quanto você investiu na marca ou no seu produto para colocar tudo a perder em uma fotografia de banco de imagens.
  • A foto está disponível para download imediato: quando o tempo manda, a foto de um banco de imagens está disponível imediatamente para aplicação em folhetos, sites, editoriais e trabalhos menores; além disso se você tem um orçamento limitado, ela pode ser um bom substituto para táticas promocionais que não estão recebendo muita atenção do público. Mas o que será que não tem a atenção do público quando vivemos em uma era de redes sociais? Pense nisso.

Cuidado

Fotos profissionais (e com foco em fotografia de conteúdo) podem ser muito mais baratas e rápidas do que você pensa. Os tempos são outros, tudo é mais ágil e imediato. Pare de achar que uma sessão fotográfica é complicada, cara e que vai parar a sua operação. Muitos projetos de banco de imagens que entreguei foram orçados, aprovados, executados e entregues em dias, nem uma semana. Por essa razão indico que você pense em fotos profissionais ao invés de um banco de imagens.

Seus clientes saberão se aquela foto é do seu estabelecimento ou não, tenho certeza disso. Fotos do cotidiano da sua empresa, de como ela funciona, fabrica, produz e entrega podem ser captadas a todo momento. Inclusive o que faz a diferença em ter um fotógrafo profissional é seu olhar, e isso será o papel dele em buscar ângulos, enquadramentos e cenas lindas para você usar nas redes sociais, site, folhetos… E o melhor de tudo: completamente exclusivo e personalizado para você. Tenho certeza de que você vai se surpreender com o poder de uma fotografia de conteúdo, e principalmente com o baixo custo dela.


Aproveite mais do seu ensaio gestante

Recentemente, um amigo me pediu dicas sobre como ele poderia aproveitar melhor a sessão fotográfica de maternidade. Comecei a rever várias sessões que já fotografei para juntar um punhado de ideias e recomendações. O que surgiu no final foi bem interessante, me fez refletir sobre como uma sessão de fotos é, e sempre foi, resultado da participação do fotógrafo e da família fotografada.

Particularmente um ensaio de gestante é um momento de antecipação, mudança e excitação… Esperar um bebê é uma fase emocionante na vida de toda família. A sensação de crescer uma nova vida faz com que cada nova mãe brilhe nessa fase. Por essa razão procuro deixar a família livre para escolher onde e como a sessão vai acontecer, embora em grande parte as ideias acabam convergindo naturalmente para as inúmeras mensagens que trocamos antes das sessões.

Cada fotógrafo tem um estilo, e eu entendo que você já deve ter escolhido ou indicado para sua amiga ou familiar aquele que você mais gosta, mas independente disso existem detalhes que eu acredito que irão expressar melhor a característica de cada família em cada foto. Se você ou a gestante que você conhece já passaram desta fase de escolha, converse com o profissional (liste) seus desejos e expectativas, pode ser que ele indique o melhor jeito de chegar onde você quer com as imagens.

Já escolheu onde vai ser?

Toda gestante é linda por natureza, no entanto pense no local aonde você quer fotografar. Eu gosto muito de ensaios ao ar livre, com muita natureza, sol, céu, luz natural. Mas existem infinitas opções quando se trata de um ensaio externo:

  • Parques: são muito fáceis de encontrar pela cidade, alguns cobram uma taxa de utilização para realizar ensaios, outros não permitem fotografar profissionalmente. Se for parte da sua história explique para o seu fotógrafo que com certeza ele tentará conversar com a administração do lugar ou indicará um outro lugar para você realizar o seu ensaio.
  • Fazenda ou Casa de Campo: irão proporcionar muito mais cenários para você fotografar e são lugares lindos para aproveitar a primeira luz do dia ou até mesmo o entardecer.
  • Praias: por natureza são lugares de extrema beleza, se você puder invista em um final de semana na praia e aproveite para fotografar lá.
  • Sua própria casa: é o lugar mais confortável e proporcionam lembranças extremamente tocantes. Além de pode realizar trocas de roupa de maneira mais fácil e rápida, as imagens trarão lembranças da sua casa, dos cômodos, móveis… São ensaios mais íntimos e você só tem que preparar a casa para que as imagens fiquem lindas. Sim, é importante organizar a casa e deixá-la pronta para o ensaio.


Com que roupa eu vou?

Existem todos os tipos de corpo, o que significa que existem inúmeras maneiras de destacar o que há de melhor nas gestantes e em todos que irão aparecer nas fotos e participar do ensaio. A melhor coisa que você pode fazer é começar a pensar nas roupas logo depois que você escolhe o local das fotos. É muito importante pensar quem irá participar da sessão e combinar as peças e tons de cores para que as pessoas não desapareçam, confundidas com a paisagem, ou se destaquem demais. Para não errar, escolha peças atemporais e  em tons pastel.

Mantenha-se natural

Durante a sessão sempre peço que as pessoas ajam naturalmente (que é a parte mais difícil do trabalho de fotografia). Muitas vezes saio de cena e quase engano (digo quase pois já fui descoberto, rs) as famílias dizendo que só estou medindo a luz, testando o equipamento ou que estou “dando um tempinho”. Por isso falo que é importante que você também pense: “legal, vamos fotografar mas vamos fazer o quê lá?” Isso mesmo, se tiver filhos e eles forem participar, aja como se fosse um passeio no parque; se for só o casal, passeie conversando. Parece simples mas pensar nisso antes da sessão faz toda diferença, principalmente se os fotografados não forem tão íntimos diante de câmeras.

Só isso

Sim, é simples. Durante sua conversa com seu fotógrafo surgirão dúvidas e ideias. Compartilhe com ele tudo que você sentir. Já comecei fotografando num aeroporto e terminamos em uma usina de açúcar centenária, assim como uma manhã de fotos em um parque acabou virando uma sessão no apartamento. Quero dizer que a sintonia é mais importante, porém os detalhes (como figurino e conversar com o seu fotógrafo) são pouco valorizados pela maioria e é onde cada foto vai brilhar no resultado final do seu ensaio.


5 dicas de como aproveitar melhor as fotos que você recebe após um evento (e como farão diferença na repercussão)

Não há como negar: existe muita oportunidade na pós-produção de um evento. Tornar a lembrança de uma vivência ainda mais presente no cotidiano dos seus clientes pode ser um desafio. Eu acredito que é mais fácil do que você imagina. Afinal, um profissional de fotografia esteve lá e registrou tudo para você e entregou as fotos antes que você pudesse chegar na mesa do seu escritório, certo? Não? Bom, aqui já vai a primeira dica.

1 - O evento acabou, as fotos já estão prontas? 

Vivemos numa cultura imediatista, portanto se isso ainda não acontece com você, já é uma oportunidade para ajustar esse prazo pois, assim como nas redes sociais, as primeiras horas são as mais importantes num pós-evento. É onde você pode aumentar a repercussão, gerar interação e discussão nas redes sociais. Na verdade, os consumidores usam as imagens como forma principal de determinar o valor de um evento antes de se registrarem ou antes de decidirem voltar aos eventos que você promove.

A esperança não está perdida. Existem maneiras de usar as ótimas fotos que você recebe e também de como pensar mais na repercussão dos seus próximos eventos, e isso pode te trazer ainda mais clientes. Lembre-se: fotos de eventos corporativos têm a missão de despertar o interesse de participantes em potencial e blindar e envolver os seus visitantes atuais. Use essas dicas para potencializar o poder das imagens que você tem em mãos.

2 - Use as fotos que utilizam técnicas diferentes.

Sempre procuro fotografar misturando técnicas que vão desde múltipla exposição ou até horizontes inclinados ao fotografar palestrantes. Tire um tempo para olhar rapidamente todas as fotos do seu pacote de imagens e separe as 5 que mais chamarem a sua atenção durante essa varredura. Estas imagens que causam uma certa estranheza podem ser as que mais irão chamar a atenção de outras pessoas também. Se puder teste essa seleção que você fez com pessoas ao seu lado, pergunte o que acham. Imagens com elementos fora do padrão contribuem para que o olhar da pessoa navegue mais na foto, proporcionando maior contemplação da imagem.

Multipla exposição

Multipla exposição

Multipla exposição

3 - Busque sorrisos, interação e espontaneidade.

Enquanto a maioria dos eventos corporativos querem fotos posadas, a espontaneidade continua em alta. Lembre-se que as pessoas (geralmente) não gostam de ser fotografadas, por isso as fotos posadas tendem a ser duras e chatas. Você vai ter uma variedade enorme de imagens espontâneas para explorar o melhor dos seus convidados, então, por que escolher as fotos de grupos? Treine o olhar para separar sorrisos e interações de pessoas que traduzam o que o seu evento propõe: relacionamento, troca de conhecimento e interação. Coloque a pessoa que vê a foto dentro do evento novamente. Desafie-se a ficar mais divertido. Confie na criatividade do seu fotógrafo e você terá imagens que resistirão e permanecerão no Instagram. “É provável que (com o tempo) você diminua o número de participantes (e o tamanho) dos seus eventos quando você percebe que eles se divertem mais e compartilham mais fotos e informações em um evento mais exclusivo, o resultado e repercussão é muito melhor”, ouvi isso de um grande cliente diversas vezes.

4 - Use tomadas abstratas para marketing.

Outra dica sobre fotografia de eventos: embora seja importante mostrar fotos de participantes se divertindo, também é importante usar fotos mais abstratas que não sejam focadas em pessoas. Isso é muito válido se você for utilizar as fotos do evento corporativo para marketing e publicidade. “Como pessoas, nos concentramos nos rostos, isso pode ser positivo e poderoso - mas também pode ser uma distração. Então, se você está tentando retratar um evento de networking profissional, pode ser mais fácil para o participante se imaginar dentro da cena de uma imagem abstrata com um leve borrão.” Outro ponto importante é: usar um rosto para publicidade pode lhe causar um problemão se você não tiver a autorização de uso de imagem desta pessoa, mas isso é um outro assunto que vou retratar depois.

5 - Confie em seu fotógrafo.

Tem coisa mais tranquilizadora do que trabalhar com uma equipe pontual, discreta e profissional? Acho que não inventaram ainda. E isso a tecnologia não vai criar. Muitas vezes você poderá receber uma indicação desconhecida que poderá estar disposto a fotografar o evento em troca da apresentação do trabalho, mas lembre-se: a segurança de ter um material de qualidade, no prazo e da maneira que você precisa não tem preço. O valor que você investiu no evento e o que espera de repercussão vale o risco?

1
Using Format